Ferréz

www.ferrez.com.br
ferrez arroba paginadacultura.com.br

Ferréz é um híbrido de Virgulino Ferreira (Ferre) e Zumbi dos Palmares (Z) e uma homenagem a heróis populares brasileiros. Fotografado por Almeida Rocha, ao lado.

Ferréz começou a escrever aos 12 anos de idade, acumulando contos, versos, poesias e letras de música. Antes de se dedicar exclusivamente à escrita, trabalhou como balconista, auxiliar – geral e arquivista. Seu primeiro livro, Fortaleza da Desilusão, foi lançado em 1997, com patrocínio da empresa onde trabalhava.

A notoriedade veio com o lançamento de Capão Pecado que está na quinta edição, lançado em 2000, romance sobre o cotidiano violento do bairro do Capão Redondo, na periferia de São Paulo, onde vive o escritor.

Ligado ao movimento hip hop e fundador da 1DASUL (marca de roupa totalmente feita no bairro). Ferréz atuou como cronista na revista Caros Amigos até 2010. Também é conselheiro editorial do jornal Le Mond Diplomatic Brasil.

Em sua prosa ágil e seca, composta com doses igualmente fortes de revolta, perplexidade e esperança, Ferréz reivindica voz própria e dignidade para os habitantes das periferias das grandes cidades brasileiras.

Perfil

O personagem que eu não esqueci: Arturo Bandini em “Vivendo na América”.
O livro que ainda não li: Mandela, a luta é minha vida.
O livro que sempre releio: “HR Giger Com” de H. R. Giger.
O autor que eu queria ser: Neruda.
Leio poesia para saber que ainda estou vivo.
Leio prosa para sair daqui.
Leio biografia para aprender com a vida dos outros.
Leio ensaio para lapidar meus pontos de vista.
O começo de livro que mais gosto é: “A caminho de Los Angeles” de John Fante.
O final de livro que mais gosto é: “Educação de um bandido” de Edward Bunker.
O filme que não esqueci: “Sinbad e o olho do tigre”.
Faço sempre e com prazer: leio Histórias em quadrinhos.
Gosto de ouvir:
rap nacional.
A minha epígrafe de hoje: Problemático mas sincero.
Meu hobby é
ler e caminhar.
Um nome que mudou a história: Hitler.
Se eu pudesse adotar um país: Congo.
Que pena que eu não escrevi isto: “Zona sul ao invés é o stress concentrado, um coração partido por metro quadrado.”
Se eu fosse um bicho eu seria um peixe.
Três coisas que não posso viver sem: minha filha, meu bairro, meus livros.
Três coisas que odeio: policia, policia, policia.
O que ficou da minha infância? Saudades que trago no meu pensamento.
O futuro ainda quer de mim: um livro bom
Quando falam de mim dizem: não gosto dele, mas até que escreve mais ou menos.
Qual pecado gosto de cometer? Vichi, num lembro…
Não posso dormir sem ler
Não escrevo sobre coisas sem sentido
Só escrevo se for requisitado pelo mundo
Me dá prazer comer em excesso
Me dá prazer beber refrigerante
Não desisto de fazer o texto ter vida própria
Com o tempo aprendi que o juiz mais justo é o tempo

Atividades Literárias-Culturais

2008- O autor é contratado pela rede de televisão Fox como roteirista da série 9MM.
2008- Ferréz apresenta o programa de entrevista Interferência na TV cultura.
2006- Lançamento de Os Inimigos Não Mandam Flores” revista em quadrinhos. Editora Pixel.
2006- Lançamento do livro Ninguém é inocente em São Paulo, primeiro livro de contos do autor. (Editora Objetiva)
2006- O livro Lusofônica é lançado na Itália com o conto inédito Pão Doce.
2006- Manual Prático do ódio é lançado pela editora Fazie Stile Libero na Itália.
2006 – Manual Prático do ódio é lançado pela editora Palavra em portugal.
2005 – O livro Manual Prático do ódio é lançado pela editora El Aleph na Espanha.
2005- Ferréz é convidado pelo PNUD para escrever no relatório da O.N.U de 2005. 2005- O livro Capão Pecado é lançado pela Editora Palavra do grupo ASA, no mês de Maio em Portugal.
2005 – Organiza o livro Literatura Marginal, lançado em sociedade com a editora Agir e o selo L.M, destacando 10 autores da nova escrita periférica.
2005 – Lança na bienal do Rio de Janeiro o seu primeiro livro infantil, Amanhecer Esmeralda, pela editora Objetiva.
2005 – Barcelona e França – é noticia de página inteira no jornal La Vanguardia, Barcelona e no Currier International, 746. França.
2004 – O conto; Viver em São Paulo é lançado na revista Alemã Literatur Nachrichten.
2004 – Roteiriza o programa Cidade dos Homens para a Rede Globo de televisão, no episódio Hip-Sampa-Hop.
2004 – São Paulo SP – 29 abril. – edita a revista Literatura Marginal 3, com participação de 19 escritores de todo o Brasil
2003 – lança o cd Determinação, e tem o vídeo clip “Judas” concorrendo na MTV.
2003 – São Paulo SP – outubro – lança o livro Manual Prático do Ódio pela editora Objetiva.
2002 – São Paulo SP – 26 jun. – edita a revista Literatura Marginal 2, com participação de 20 escritores de todo o Brasil
2002 – participa do livro Notebook juntamente com Caetano Veloso, Roberto Freire, Paulo Coelho, Paulo Lins, Arnaldo Jabor, Pelé. O livro é distribuído em Inglês e Espanhol, respectivamente nos Estados Unidos e Europa.
2001 – São Paulo SP – É criador do projeto, organizador e editor-chefe da revista Literatura Marginal, publicada em colaboração com a revista Caros Amigos. No mesmo ano o autor cria o selo literário L.M.
2000 – São Paulo SP – Publica Capão Pecado, que tem a tiragem esgotada em um mês.
1999 – São Paulo SP – Fundador da 1DASUL, movimento que criou o próprio vestuário dos moradores do bairro.; o nome alude à idéia de que os participantes do movimento são todos um lutando pelo mesmo ideal e pela dignidade da Zona Sul
1997 – São Paulo SP – Publica o livro de poesia concreta Fortaleza da Desilusão, patrocinado pela empresa Ética, onde trabalhou.

Palestras e eventos:

Autor disponível para palestras e eventos.

Homenagens – Títulos – Prêmios

2007 – Ninguém é inocente em São Paulo, indicado ao prêmio Jabuti, e finalista do prêmio Portugal Telecom na categoria contos.

2006 – São Paulo SP – Prêmio Zumbi dos Palmares (Assembléia Legislativa).

2005- São Paulo SP – 1º. Prêmio Cooperifa (pelo conjunto da obra e pelo projeto Literatura Marginal).

2005- Rio de Janeiro, Ferréz ganha o prêmio Hútuz 2005 (ciência e conhecimento) pelo livro Manual Prático do ódio.

2004 – O autor concorre ao Guggein Fundation (prêmio Americano) Indicado por Normann Gal, um dos jurados.

2002 – São Paulo SP – Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) de Melhor Projeto de Literatura de 2001 para a revista Literatura Marginal, que reúne textos e desenhos de moradores das periferias de cidades brasileiras

Obras

Amanhecer Esmeralda. DSOP, 2014
Manual Prático do Ódio. Planeta do Brasil, 2014
Capão Pecado.
Planeta do Brasil, 2013
Desterro com De Mayo. Anadarco Editora, 2012
O pote mágico.
Planeta do Brasil, 2012
Deus foi almoçar
.
Planeta do Brasil, 2012
Cronista de um tempo ruim.
Selo Povo, 2009
Os Inimigos não mandam flores
com Alexandre de Mayo. Ediouro, 2006
Manual practico del odio.
El Aleph, 2006
Ninguém é inocente em São Paulo.
Objetiva, 2006
Amanhecer Esmeralda.
Objetiva, 2005
Capão pecado.
Objetiva, 2005
Literatura marginal: talentos da escrita periférica.
Agir, 2005
Manual prático do ódio.
Objetiva, 2003
Capão Pecado, Labortexto Editorial, 2000




*nome

*e-mail

site ou blog

comente a postagem :: tentativas de contato por comentário serão bloqueadas