Piadas para gente muito sofisticada

Intelectual também tem direito ao riso!

por Edson Aran

— Toc! Toc!

— Quem é?

— Jorge Luis Borges!

— Pela última vez: isso aqui é uma biblioteca, aqui não é o banheiro e não mije de novo em cima dos originais do “Quixote”, porra!


* * *

Na mundialmente famosa Academia de Artes Plásticas estavam Juan Miró, Vincent Van Gogh, Pablo Picasso e Toulouse Lautrec. O professor, Paul Gauguin, lançou um desafio aos pintores:
— Meus caros colegas, me digam agora em que fase vocês pretendem entrar na próxima etapa das suas brilhantes carreiras.
Pablo Picasso pensou imediatamente “Fase Azul! Faze Azul!”, mas Juan Miró foi mais rápido e respondeu primeiro.
— Fase azul!
— Muito bem! – respondeu Paul Gauguin – Muito criativo e diferente, Juan. E os outros?
Pablo Picasso ficou puto e rapidamente pensou em mudar para Fase Vermelho. Ele já ia levantar a mão quando Vicent Van Gogh falou:
— Fase Vermelho!
Novo elogio do Gauguin e Picasso ainda mais furioso.
“Putaquepariu!”, pensou o gênio catalão. “Agora vou falar Fase Pink Com Bolinhas Amarelo Canário! Quero só ver se um desses desclassificados vai pensar nessa!”.
Mas nem bem Picasso tinha pensado nisso, Toulouse Lautrec subiu na cadeira e proclamou:
— Eu vou entrar na Fase Pink com Bolinhas Amarelo Canário, grande Pogogan!
— Muito bem, Toulouse! Gostei da sua criatividade selvagem. E você, meu caro Pablo Picasso, qual vai ser a sua próxima fase?
E Pablo Picasso, extremamente puto da vida:
— Fase Anão Filho da Puta em Cima da Cadeira, porra!

* * *


Todos os domingos, a família de James Joyce, muito católica, ia à missa em Dublin.  O pai John Joyce, a mãe Mary Jane Joyce e a irmã, Suellen Joyce. Mas o jovem artista Joyce passava a noitinclaro praticando a velha arte do cincontraum e, quando chegava na igreja completamente cansadacabado, ele dormia a sonossolto. O padre, preocupado com seu rebanho, sempre fazia perguntas à queima-roupa para testar a fé dos fieis dorminhocos. Quando avistou o jovem Joyce cochiloncando, o padre atacou:
— Jovem James, quem é o nosso pai?
A irmã, Suellen Joyce, percebendo que o irmão dormia, cutucou a bunda do Joyçovem com a chave e o poeta gritou:
— Deus!
— Muito bem! – parabenizou o padre meio a contragosto e seguiu a missa. Mas pouco depois, percebendo que o jovoyce novamente roncochilava, o padre voltou à carga.
— Jovem James, qual o nome do “homem” que morreu na cruz?
Suellen cutucou de novo o traseiro do irmão com a chave e Joyce gritou:
— Jesus Cristo!
— Muito bem! – disse o padre, todavia ressabiado. E ficou de olho no punhetominhoco. Quando percebeu novo cochilo, o padre atacoutravez:
— Jovem James, o que Eva disse para Adão quando ambos descobriram o pecado original?
Suellen Joyce usou a chave mais uma vez e James Joyce gritou:
— Se você enfiar esse troço no meu rabo de novo eu te arrebento a fuça!

Edson Aran (@EdsonAran) é escritor, jornalista, cartunista e desde 2006 é diretor da redação da Playboy. Publicou Na Kombi, Antologia, Barba Negra, Leya Cult, 2010;Delacroix escapa das chamas, Record, 2009; O Imbecilismo – e outros textos de humor, Geração Editorial, 2005; Blônicas, Antologia, Jaboticaba, 2005; Conspirações – Tudo o que não querem que você saiba, Geração Editorial, 2003; Quânticus – O Destruidor de Mundos, Opera Gráfica, 2002, A Noite dos Cangaceiros Mortos-Vivos, Nova Alexandria, 2001; Aqui Jaz – O livro dos Epitáfios (com Castelo), Ática, 1996.




*nome

*e-mail

site ou blog

comente a postagem :: tentativas de contato por comentário serão bloqueadas