O Bloqueio

Escritor é um bicho muito besta

por Edson Aran

Escritores não são pessoas normais feito eu e você. Escritores têm “bloqueio” – um jeito pretensioso de dizer que eles não têm porra nenhuma na cabeça. Você não vê carteiros parados no meio da rua, a mão cheia de envelopes, falando sozinhos: “Não adianta! Por mais que eu entregue cartas, eu jamais farei uma obra-prima! Ou cirurgiões: “Não adianta! Implantar esta ponte de safena não fará de mim um novo James Joyce!” leia mais »





Block e Report Spam

A solução para todos os seus problemas

por Edson Aran

Sou obcecado e completamente viciado em Twitter como sabem meus quase 13 mil seguidores (yeah!). Embora classificado como “mídia social” (e existe mídia que não seja social, ô energúmeno?!), o Twitter é um pouco diferente do Orbook e do Facekut. No Twitter você não precisa necessariamente interagir com as pessoas: pode ficar falando sozinho como se fosse o PSDB. Ou sair mandando beijinhos pra todo mundo como se fosse crítico de música.

Mas a maior invenção do Twitter é o block. Trollou? Block. Encheu o saco? Block. Só escreve inutilidades? Block. Block, block, block. Block & report spam. leia mais »





Como pensar fora da caixa

Saia da caixa você também… vem!

por Edson Aran

Pensar fora da caixa sempre foi um desafio. Na Grécia Antiga, acreditava-se que nada existia fora da caixa. O filósofo Platão tentou inutilmente provar que o mundo era mais do que a caixa, mas acabou ridicularizado pelos pré-socráticos: “Tá, tá. Agora vai chamar o Sócrates que a gente tá esperando ele faz mais de meia hora…”.

Com o fim da Antiguidade Clássica – numa quarta-feira de fevereiro, às três e meia da tarde –, o pensamento fora da caixa passou a ser severamente punido. Na Idade Média quem ousasse botar o nariz pra fora era submetido à fogueira e tortura. Não necessariamente nessa ordem, pois torturar cinzas de gente esturricada dava muito trabalho, especialmente em dias de ventania.

O mundo ocidental e cristão só voltou ao tema durante o Renascimento, quando Michelangelo Buonarroti foi contratado pelo Papa Baitolo V para pintar o teto da caixa. “Fucus pedicabo culus obeliscum pintus caixus!”, explicou o Pontífice. Frase que pode ser traduzida como “Se a caixa ficar bem lindona, ninguém vai sequer pensar em pensar fora da caixa, né mesmo, Michelão?”

A vontade de pensar fora da caixa só voltaria bem mais tarde. Em 1782, o filósofo prussiano Immanuel Kant botou a cabeça fora da caixa e levou o maior tapão no pé do ouvido. Ele nunca mais pensou fora da caixa depois disso. leia mais »





Piadas para gente muito sofisticada

Intelectual também tem direito ao riso!

por Edson Aran

— Toc! Toc!

— Quem é?

— Jorge Luis Borges!

— Pela última vez: isso aqui é uma biblioteca, aqui não é o banheiro e não mije de novo em cima dos originais do “Quixote”, porra!


* * *

Na mundialmente famosa Academia de Artes Plásticas estavam Juan Miró, Vincent Van Gogh, Pablo Picasso e Toulouse Lautrec. O professor, Paul Gauguin, lançou um desafio aos pintores:
— Meus caros colegas, me digam agora em que fase vocês pretendem entrar na próxima etapa das suas brilhantes carreiras.
Pablo Picasso pensou imediatamente “Fase Azul! Faze Azul!”, mas Juan Miró foi mais rápido e respondeu primeiro.
— Fase azul!
— Muito bem! – respondeu Paul Gauguin – Muito criativo e diferente, Juan. E os outros? leia mais »





Enquanto isso, na academia…

A história não contada de Machado de Assis

por Edson Aran

Empertigado em seu fraque engomado, Machado de Assis abre a primeira reunião da Academia Brasileira de Letras.
“Investindo-me no cargo de presidente, quisestes começar a Academia pela consagração da idade…””
No fundo da platéia, alguém grita:
“Cala a boca, ô crioulo!” leia mais »





Gisele contra a segurança Nacional

Era um dia calmo no Planalto quando…

por Edson Aran

Baranguilda da Silva, ministra da Associação das Mocréias Ligadas à Presidência da República (AMABAIACU), entra esbaforida na sala da presidente Dilma Rousseff.
“Companheira dona presidenta! Emergência nacional!”

Dilma Rousseff nem se vira para a recém-chegada e continua olhando fixamente a tela do computador.
“Manda demitir o ministro!”
“Que ministro?!”, pergunta Baranguilda, as duas mãos apoiadas no que um dia foi uma cintura. leia mais »